Dulla 2017-08-15T21:33:41+00:00

DULLA

TORMENTA DE PRIMAVERA – TULIPA

tormenta de primavera tulipa

60X48cm – 2008 – Fotografia realizada com câmara Sinnar 4X5, filme Polaroid PeB tipo 55 reprodução digital do negativo, impressão em papel algodão Hahnemuhle

TORMENTA DE PRIMAVERA – GIRASSOL

tormenta de primavera girassol

60X48cm – 2006 – Fotografia realizada com câmara Sinnar 4X5, filme Polaroid Peb tipo 55 e reprodução digital do negativo, impressão em papel algodão Hahnemuhle

TOURMENT DU PRINTEMPS

“Crônicas de um amor louco” foi a inspiração para esta série fotográfica. A obra literária de Charles Bukowsky somada ao filme de mesmo nome de Marco Ferreri falam sobre os conflitos humanos. Bizarros, assustadores.

Profundamente afetado por eles, seu texto e imagens, e na época iniciando na fotografia, Dulla fez a primeira foto desta série, intitulada “A Orquídea e o Alfinete”. Quase uma reprodução de parte do pôster do filme, a imagem foi a prova do impacto que lhe causaram, uma singela homenagem aos dois.

A foto era uma visão particular dos contrapontos dos sentimentos humanos, a beleza e a suavidade das pétalas de uma das mais belas flores, transpassada pelo metal, gélido e dilacerante.Imagem forte, bela e ao mesmo tempo cruel.

Não seria a verdadeira tradução dos sentimentos humanos?
A beleza e o bizarro, o imaculado e o rude, a doçura e a frieza, todos juntos, lado a lado?
Desta foto quase repulsiva nasceu o caminho desta série, flores representando nossos conflitos.

TORMENTA DE PRIMAVERA – DALIA

tormenta de primavera dalia

60X48cm – 2007 – Fotografia realizada com câmara e lentes Sinnar 4X5, filme PeB Polaroid tipo 55 e reprodução digital do negativo, impressão em papel algodão Hahnemuhle

TORMENTA DE PRIMAVERA – LIRIO

tormenta de primavera lirio

TOURMENT DU PRINTEMPS

A fotografia tem o poder de conservar um instante para sempre, ver de fora uma aflição algumas vezes faz com que ela pareça menos dolorosa.

Representar as mais comuns emoções da alma, amor, saudade, sexo, vingança, medo e conflito, sempre estamos em conflito!
Incomum, entretanto, é a maneira utilizada nesta obra: sempre belas e delicadas flores, violentadas sem piedade pelo rígido e frio metal.

São histórias particulares mas cotidianas, como uma antiga e perdida paixão ainda congelada na lembrança, como ver partir seu ente mais querido numa cama de hospital, um sufocante e aprisionador beijo de amor, expor a alma, conflitos e sentimentos, apresentados de uma maneira surreal mas ao mesmo tempo literal, flores fotografadas em filme preto e branco, minúsculos universos ampliados dezenas de vezes, na tentativa de partilhar este grito tão profundamente silencioso :

“Eu senti isto, eu vivi isto e, neste momento, escancarando o peito nesta minha confissão fotográfica, espero agora poder ser perdoado?!”

Marcelo Mancini – Musico

Dulla nasceu e trabalha em São Paulo. Iniciou na fotografia como assistente de grandes nomes como : Willy Biondani, Miro, Cláudio Elisabestsky, Moa Sitibaldi e Klaus Mitteldorf, partindo para carreira solo em 1996.

Dar vida aos mais variados objetos em stills irretocáveis se tornou sua marca–registrada. Seu trabalho intercala editoriais de revistas com publicidade.Participou de matérias vencedoras de 8 Prêmios Abril no Brasil, 3 Awards of Excellence da SND (Society of News Design) em 2012 e duas medalhas de Ouro no New York Festivals Wold’s Best Advertising com trabalhos publicitários.

No trabalho artístico, desenvolvido paralelamente, Dulla se dedica com refinada precisão às técnica adquiridas durante esses anos, e atualmente vem utilizando câmeras analógicas com filmes e também as atuais possibilidades digitais e tecnológicas resultando fotografias artísticas com grande diferencial e personalidade.

Sua obra « Sorte » recebeu o 3° lugar na 10° Biennale d’Arte Internazionale, realizada em Roma no ano de 2014.

Dulla é um artista indiferentemente se produz fotografias publicitarias ou artísticas pois sua sensibilidade esta revelada no resultado do seu clic, no seu olhar. Convidado por BresilArtFrance à apresentar suas fotografias na edição de outono do Salon ArtShopping – Carrousel du Louvre Paris 2016.